Sentires

… há vezes que eu acho… há outras em que tenho a certeza de que nasci desfasada no tempo, no século errado… pelos valores que não se cultivam, pelos sentimentos de lealdade, amizade, dedicação e confiança incondicionais a que não se dá valor, hoje em dia.

Hoje tudo se compra e tudo se vende. Tudo se trai, nada se respeita, a “palavra” não tem valor…
As pessoas não têm tempo, vivem a correr.. nao perdem um minuto para cumprimentar um amigo, para beber um café.. e depois queixam-se da solidão, queixam-se das suas noites solitárias em frente ao PC no Facebook. Não têm tempo (ou não dão valor) a parar um momento para beber um café com um amigo, para escrever como correu o seu dia num simples bloco ou agenda.. escrever ajuda a perspectivar, ajuda quando se lê mais tarde, a saber onde se errou ou onde se pode fazer melhor.

As pessoas hoje em dia, não têm sonhos. Nâo têm objectivos ou pelo menos, pouco lutam por eles.
Observo muito e observo sobretudo atitudes… basta ir aos centros comerciais na altura do Natal para ver ao que se resumem os sonhos das pessoas hoje em dia. Entram em lojas, em familia, sem trocar uma palavra, falam do que cada um quer de prenda, saiem com sacos e mais sacos, enchem o porta bagagens dos carros, com sacos e cartoes de crédito esgotados.. chegam a casa, uns vao para a TV outros vao para o PC e as prendas saiem dos sacos para o sopé da árvore de Natal.. porque ficam bem lá na noite de Natal, para toda a familia ver, que naquela casa, vivem pessoas com posses para prendas…. á meia noite, uma ou duas ou três, gradualmente todos se deitam, apagam-se as luzes e das 14 palavras trocadas desde que sairam do centro comercial, duas foram.. Anda jantar (repetidamente) e as outras.. bom, vou-me deitar….

Eu.. sou do tempo (não físico mas emocional) em que as bonecas eram feitas de pano, em que tinha mais valor um beijo que uma playstation… eu sou do tempo em que o carinho tinha valor, o abraço tinha sentido e a confiança tinha o valor de uma vida. Eu… sou do tempo em que, e nao digo que nao tenha sonhos consumistas também, mas em que, para ter algo tinha de lutar e trabalhar para o ter.. e continuo a faze-lo até hoje… onde mais depressa perdia um “amigo” que revelava um segredo de outro… onde posso perder tudo, mas nao perco a força nem a dignidade.. onde por mais baixo na motivação que desça, sei sempre que.. ok, agora o caminho é para cima!!

Sem duvida, que muitas vezes, sinto, que não pertenço aqui!!
Eu e felizmente, muitas pessoas como eu, que também vieram do mesmo “planeta”, que partilham os mesmos valores (nao os mesmos gostos, obvio, porque o Mundo é uma bela diversidade 🙂 e que tenho a felicidade de chamar de Amigos ou de ter neste momento a ler este meu longo texto 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.